Carta aos homens de boa vontade

Em nome dos 53.471 cidadãos paranaenses que me honraram com o seu voto quero expressar meu constrangimento e minha indignação em relação aos episódios ocorridos na política estadual nos últimos dias. Comecei a interessar-me por política na adolescência, quando o Brasil ainda dava seus primeiros passos após o inicio da democratização.

Aos 13 anos de idade fiz meu primeiro discurso em praça pública apoiando o então candidato a Prefeito de Curitiba Roberto Requião. Na época, o Governador José Richa licenciou-se do cargo e saiu as ruas para garantir a vitória de seu aliado peemedebista e, todos nós, amigos da família Richa, fizemos questão de acompanhá-lo.

Hoje, aos 33 anos de idade, inicio o mandato que me foi outorgado pelo povo assistindo a um bate-boca indigno até mesmo das estrebarias do jóquei clube. O filósofo grego Aristóteles ensinou que “política é a arte do bem comum”. O jogo baixo e os golpes rasteiros não fazem parte da verdadeira e autêntica política. Quando enveredamos por essa seara deixamos de ser o homo sapiens e passamos a nos comportar como os seres desprovidos de raciocínio e de inteligência.

Os ataques desferidos a José Richa Fiho são, no mínimo, equivocados e injustos. Conheço a família Richa há mais de 20 anos e sei do caráter e da dignidade que o ex-Governador José Richa deixou como herança para seus filhos. Sou amigo e aliado político do Prefeito Beto Richa. Por outro lado meu relacionamento com o Governador Roberto Requião sempre foi cordial e respeitoso, até porque aprendi com o meu pai, que é seu eleitor, a admirar a inteligência deste que é o maior orador da política nacional.

Pelo bem do Paraná e da nossa amada Curitiba quero fazer um apelo ao Senhor Governador e ao Senhor Prefeito, extensivo a todos os seus aliados, para que desarmem os espíritos. Cada dia travado em uma guerra que não terá vencedores, será um dia de trabalho perdido na incansável luta para melhorar a saúde, a segurança, a educação e o crescimento econômico do nosso estado.

Rogo para que passado o carnaval, na quarta-feira de cinzas, possamos nos imbuir do espirito cristão da quaresma e iniciar uma campanha de fraternidade em que todas as correntes políticas e ideológicas do Paraná se unam na busca de uma vida melhor para nosso tão sofrido povo.

Nos inspiremos no grande Marco Tulio Cícero e sejamos: “justos em tudo, resolutos na virtude, fortes em patriotismo, ardorosos na piedade, corajosos em todas as adversidades, pacíficos de temperamento, protetores dos fracos, prudentes em nossas decisões, anciosos pela justiça, moderados e honrados”.

Ney Leprevost, Deputado Estadual

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *