Ney alerta sobre complicações com a legalização do aborto

O presidente da Comissão de Saúde da Assembléia Legislativa, deputado Ney Leprevost, posicionou-se contra a proposta de legalização do aborto no Brasil, defendida pelo Ministro da Saúde José Gomes Temporão. Atualmente o aborto é autorizado só em casos de estupro e risco de vida para a mãe.

“Não vou nem entrar no contexto ético, moral e filosófico. Mas quero alertar as autoridades que se o aborto for legalizado correremos o risco de vivenciar em nosso país uma epidemia de HIV de padrões africanos”, afirmou Leprevost em carta enviada ao ministro.

O deputado disse que sua convivência com pessoas de todas as camadas sociais o faz crer que “muita gente, principalmente do sexo masculino, não tem uma consciência firme sobre os riscos de contaminação por doenças sexualmente transmissíveis. Por desinformação, ignorância e preconceito tem muita gente que ainda pensa que AIDS é uma doença de pessoas que tem vida sexual promíscua. Não tenho dúvidas em afirmar que muitos homens só se submetem ao uso do preservativo por medo de serem enganados pela parceira provocando uma gravidez indesejada. É triste, mas é verdade”, afirma Leprevost.

O parlamentar acredita que as autoridades de saúde devem encontrar outros meios de conter a mortalidade materna provocado por abortos mal realizados. “Intensificar a educação sexual, promover de maneira mais franca o uso de preservativos e fiscalizar ostensivamente as clínicas de abortos ilegais, pode ser um bom começo”, defende Ney.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *