E agora, Leprevost?

João Abrão é o nome do avô materno do deputado Ney Leprevost. Líder político na pacata cidade de Piraí do Sul, hospedava José Richa em sua casa quando este percorria o interior em busca de votos para eleger-se deputado federal. Descendentes de árabes, seu João e Richa pai foram amigos inseparáveis a vida inteira.
Seu neto Ney herdou essa amizade e adquiriu o gosto pela política, ainda criança, vendo o então candidato a governador do Paraná discursar em um palanque montado no centro de Londrina. Aos 13 anos de idade, Leprevost já era repórter esportivo e começava a desenvolver sua excelente oratória. Quando Richa, já governador, apoiou Requião para prefeito; Ney fez seu primeiro discurso em praça pública enaltecendo o candidato do amigo de seu avô.
Na política, Beto Richa e Ney Leprevost estão unidos desde sempre. Embora o primeiro tenha 44 anos de idade e o deputado 33, o estilo jovial do prefeito contribuiu para que freqüentassem os mesmos lugares e tivessem inúmeros amigos em comum.
Um velho amigo de Richa pai e Richa filho, que torce por ambos desde o início de suas carreiras, contou a esta colunista que Leprevost sempre nutriu por Beto aquela espécie de idolatria que os irmãos mais novos têm pelos mais velhos.
Ney votou em Richa para deputado estadual. Defendeu seu nome para vice de Cássio Taniguchi e na campanha de reeleição do então prefeito, enquanto muitos isolaram Beto, fazia do mesmo a grande estrela de seus mega eventos nos restaurantes de Santa Felicidade, provocando ciúme doentio nos áulicos lerno-cassistas.
Quando Beto foi cristianizado na campanha ao Governo do Estado, Leprevost foi um dos poucos que ficou ao seu lado até o fim. Dois anos depois Leprevost era pré-candidato a prefeito pelo Partido Progressista, mas ao ver que seu amigo Richa teria mais chances de vitória, preferiu apóia-lo do que atrapalha-lo em uma eleição disputadíssima contra Ângelo Vanhoni. A vice lhe foi prometida, mas novamente, com a humildade que lhe é característica, Leprevost cedeu para que Beto pudesse engrossar suas fileiras com a presença do PSB de Luciano Ducci.
O destino, leia-se deputado federal Ricardo Barros, coloca novamente diante de Leprevost a chance de alçar um vôo mais alto. Os progressistas querem Ney Candidato a prefeito de Curitiba. Alegam que mesmo que ele não vença, irá despontar através das inserções partidárias na televisão como o mais inteligente dos políticos desta nova geração. E agora, Leprevost, o que irá falar mais alto?

Missão
O senador Francisco Dornelles, presidente nacional do PP, quer estimular candidaturas do partido nas principais capitais do país. Em Curitiba os progressistas tentam convencer Ney Leprevost, vereador mais votado do Paraná e deputado mais votado do partido na capital a encarar e missão.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *