Ney Leprevost firma posição contra aumento de impostos proposto no pacote de Greca

O deputado Ney Leprevost, que representa mais de 400 mil eleitores curitibanos, posicionou-se contrário ao chamado “Pacote de Maldades” que será votado na Câmara Municipal de Curitiba e pediu aos vereadores do PSD que façam o mesmo.

Uma das medidas propõe aumentar o Imposto de Transmissão de Bens Imóveis (ITBI) – A proposta do Executivo quer, por exemplo, acabar com a alíquota de 2,4% aplicada para o cálculo de imóveis com valor entre R$ 140 mil e R$ 300 mil. Para esta faixa seria aplicada a alíquota geral, de 2,7%. Além disso, o imposto não poderá mais ser parcelado.

Outra medida acaba com a vinculação da taxa de coleta de lixo ao IPTU. Cerca de 343 mil imóveis terão acréscimo no valor da taxa de lixo; isso equivale a mais da metade dos imóveis da cidade.

O pacote também atinge diretamente os servidores municipais. Durante a campanha eleitoral, o então candidato Rafael Greca prometia não mexer no direito deles. As mudanças devem afetar mais de 30 mil servidores que ainda trabalham e outros 16 mil aposentados e pensionistas. A prefeitura quer suspender os dez planos de carreira das diferentes categorias, atualmente em vigor. Os planos (quatro deles criados em 2014), determinam regras e parâmetros para aumentos e progressões salariais dos servidores. Pelo projeto, eles ficarão suspensos.

Segundo Leprevost, com essas medidas a população, em geral, será afetada. “Não podemos cortar direitos da população e dos servidores concursados para sustentar a máquina pública inchada com cargos em comissão indicados por políticos”, disse.

(Via Assessoria de Imprensa – Rodrigo França)

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *