Ney Leprevost pede incentivo à pesquisa para tratamento da Atrofia Muscular Espinhal

O deputado Ney Leprevost, líder da Frente Estadual da Saúde e Cidadania, está requerendo ao Governo do Paraná incentivo às universidades para a formação de um grupo de trabalho para estudar a eficácia, assim como possíveis efeitos colaterais, do medicamento Spinrazza (nusinersen).

Segundo pesquisas, o Spinrazza (nusinersen), pode interromper a progressão da Atrofia Muscular Espinhal (AME) e permitir desenvolvimento motor para os pacientes.

A Atrofia Muscular Espinhal, é uma doença genética e hereditária. Os especialistas estimam que nos diversos níveis de gravidade a doença atinja uma a cada 10 mil pessoas. No Brasil, por exemplo, seriam 300 novos casos por ano. A doença está relacionada a mutação do gene SMN1, que deixa de produzir um determinado tipo de proteína.

A aprovação do primeiro medicamento para tratar a Atrofia Muscular Espinhal (AME), nos Estados Unidos, e os surpreendentes resultados dos testes realizados em outros países, como Espanha e Itália, geraram a mobilização de milhares de famílias que também sofrem com o problema no Brasil.
De acordo com o deputado Ney Leprevost, o pedido de incentivo ao estudo foi feito a ele pela Associação das Crianças Cardiopatas Coração de Leão. “Este tratamento custa aproximadamente três milhões de reais e a maioria das famílias não dispõem de planos de saúde que façam a cobertura.

Por outro lado, o Paraná poderia sair na frente realizando um estudo sério que poderá comprovar sua eficácia e ajudar muitas pessoas que lutam contra a Atrofia Muscular Espinhal”, afirmou Ney.

(Via Assessoria de Imprensa – Rodrigo França).

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *