Ney Leprevost pede a Ministério Público investigação sobre retirada de pediatras das UPAS de Curitiba (Via #EquipeNL)

O deputado Ney Leprevost, líder da Frente Estadual da Saúde e Cidadania, está encaminhando expediente oficial ao procurador de Justiça e coordenador do Centro de Apoio Operacional das Promotorias de Justiça de Proteção à Saúde Pública (CAOP/Saúde) do Ministério Público do Paraná (MPPR), Marco Antônio Teixeira, pedindo que seja investigada a denúncia veiculada no portal www.contraponto.jor.br do jornalista Celso Nascimento, de que a atual gestão da prefeitura está deixando as unidades de saúde de Curitiba sem pediatras para atender as crianças .

Segundo a denúncia, em algumas UPAS, de grande demanda de atendimentos, como Boqueirão e Tatuquara, esta prática da Prefeitura Municipal já está vigorando. E a fila de espera está levando horas.

De acordo com relatório de um auditor do Ministério da Saúde no Paraná, realizado em maio do ano passado, a mortalidade infantil em Curitiba cresceu de forma assustadora nos primeiros quatro meses de 2017. O estudo apontou que, dos 8,5 óbitos por mil nascidos vivos registrados no primeiro quadrimestre de 2016, foram registrados 13,2 óbitos por nascidos vivos em 2017. Na época, a Secretaria Municipal de Saúde informou que os dados do relatório oficial estavam errados.

A Sociedade Paranaense de Pediatria (SPP), se opôs veementemente à falta de atenção da Prefeitura de Curitiba à infância e à adolescência e está preparando campanha de alerta intitulada “Um Pediatra Pra Chamar de Seu”. A entidade informou que os indicadores relacionados à infância só tendem a piorar. Isto porque, na contramão da excelência no atendimento à saúde infantil, Curitiba não terá mais pediatras atendendo nas UPAS e nem em outras unidades básicas de saúde. A prevenção e detecção precoce de doenças será feita por atendentes em enfermagem.

“Este desrespeito a saúde das crianças não pode ser tolerado. Por isso a denúncia para que o Ministério Público investigue”, afirmou Ney.

(Via Assessoria de Imprensa – Rodrigo França)

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *