Reestruturação da SEJUF já garante R$ 18 milhões em economia para os cofres do Paraná 

A reestruturação organizacional determinada pelo governador Ratinho Jr e o enxugamento de cargos e gastos realizado pelo secretário Ney Leprevost, em seu primeiro mês frente à pasta da Justiça, Família e Trabalho (Sejuf) já garante uma economia de R$ 18,3 milhões para os cofres públicos em 2019, com a adoção de medidas simples e austeras.

Um exemplo é a devolução da Casa Rosada, imóvel na Avenida Iguaçu onde funcionava a Secretaria da Justiça e que está sendo cedida à Secretaria de Segurança para abrigar unidades policiais. Isso representará uma redução de R$ 4,7 milhões no exercício de 2019 (R$ 3,2 milhões de aluguel e R$ 1,5 milhão da manutenção do imóvel nos 12 meses do ano). Agora, com a fusão das pastas, toda a estrutura da Secretaria da Justiça passa a funcionar no Palácio das Araucárias, junto com as estruturas das secretarias da Família e Desenvolvimento Social e do Trabalho.

“Com a fusão, estamos cortando todos os excessos e otimizando processos, seguindo a orientação do governador Ratinho Junior e gerando grande economia. Queremos eficácia total”, salienta Ney.

Segundo o secretário, com a publicação da lei que cria a nova Secretaria (a reforma administrativa está ainda tramitando na Assembleia Legislativa) será possível revisar ainda outros contratos que atualmente existem separadamente em cada pasta, como limpeza, internet, telefonia móvel e fixa, correios e vigilância e outras despesas de custeios. “Também estamos economizando na revisão dos contratos, já formalizados, cujo montante chega a R$ 8 milhões somente este ano”, afirma o diretor geral da pasta , Adayr Cabral .

Outra medida adotada foi a redução de 91 cargos comissionados, ultrapassando os 20% determinados pelo contingenciamento determinado pelo governador no início da gestão . A economia estimada é de R$ 4,2 milhões em 2019. A folha de pagamento de apenas uma secretaria, a da Família e Desenvolvimento Social, foi reduzida de R$ 2,2 milhões em dezembro de 2018 para R$ 1,5 milhão em janeiro deste ano – uma economia de 28%.
“Os recursos economizamos serão redirecionados para atendimento às redes de proteção a crianças e idosos” , relata Leprevost .

( Via #EquipeSejuf)

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *