Paraná é único estado do país com aumento de carteiras de trabalho assinadas no 2º trimestre

Mais uma boa notícia na área de emprego e renda: o Paraná foi o único Estado do país a registrar crescimento na variação percentual de empregados com carteira assinada no setor privado no segundo trimestre de 2019, tanto na comparação com o primeiro trimestre de 2019 quanto com o segundo trimestre de 2018. Os aumentos foram de 3,4% e 4,2%, respectivamente. As outras 27 unidades da federação permaneceram estagnadas ou registraram quedas em ambos os períodos de comparação.

Os dados são da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua Trimestral (PNAD Contínua) do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), divulgados nesta quinta-feira (15). O Paraná ainda é o terceiro Estado do país com maior percentual de empregados com carteira assinada no setor privado, com 81,4% no segundo trimestre de 2019. Esse índice perde apenas para Santa Catarina (87,6%) e Rio Grande do Sul (83,3%), mas é bem superior à média nacional (74,3%). Os piores índices foram computados no Maranhão (50,3%), Piauí (52,0%) e Pará (52,7%).

O Paraná ainda registrou o maior crescimento proporcional em relação ao segundo trimestre de 2018 entre os Estados do Sul, de 80% para 81,4%. O Rio Grande do Sul saltou de 82% para 83,3% e Santa Catarina caiu de 88,4% para 87,6%. Os três estados ajudaram a equilibrar o índice nacional, com salto de 83% para 83,7%, melhor resultado entre as regiões do País – o Sudeste, que mais se aproximou, registrou proporção de 78,8% neste semestre.

Segundo o secretário de Justiça, Família e Trabalho, Ney Leprevost, os números refletem a melhoria no atendimento das Agências do Trabalhador e a aproximação do governo Ratinho Junior com o setor privado. “Nosso Departamento do Trabalho se destaca por ter uma atuação proativa, procurando grandes empresas para fazer a intermediação de mão-de-obra e desta forma recolocar mais rapidamente os paranaenses no mercado formal de trabalho”, disse.

TAXA DE DESEMPREGO – Já a taxa de desemprego das pessoas de 14 anos ou mais de idade em todo o Brasil ficou em 12% no segundo trimestre de 2019, segundo o IBGE – uma queda de 12,4% em relação ao primeiro trimestre do ano passado.

O Paraná figura em sexto nessa lista, com uma taxa de 9%, acima do índice nacional e atrás apenas de Mato Grosso e Mato Grosso do Sul (8,3%), Rio Grande do Sul (8,2%), Rondônia (6,7%) e Santa Catarina (6%).

O Paraná se manteve estável no comparativo com o primeiro trimestre, quando o índice era de 8,9%, e também em relação ao mesmo semestre do ano passado, que marcava 9,1%.

TAXA NACIONAL – Considerando-se as variações em relação ao primeiro trimestre do ano, a taxa de desemprego recuou em 10 das 27 unidades da federação, permanecendo estável nas demais. O número de desalentados no segundo trimestre de 2019 foi de 4,9 milhões de pessoas de 14 anos ou mais. A PNAD Contínua estima que cerca de 3,3 milhões de pessoas procuram trabalho há dois anos ou mais.

(Via assessoria de imprensa)

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *