Autores de peso são esperados na 1ª Bienal do Livro de Curitiba

Evento tem apoio da Frente Pró-Leitura

Entre os dias 27 de agosto e 4 de setembro, Curitiba será palco de um evento que promete movimentar o cenário cultural da capital paranaense: a 1ª Bienal Internacional do Livro de Curitiba. Baseado nos outros acontecimentos literários semelhantes de sucesso no Brasil, a bienal curitibana vem coroar o movimento cultural, que ganha cada vez mais espaço.

Na semana passada, o deputado Ney Leprevost recebeu os organizadores do evento, Julcio Torres, diretor da Agência Esfera responsável pela realização – e Sueli Brandão. Durante a conversa, o parlamentar aproveitou para colocar seu gabinete e a Frente Parlamentar Pró-Leitura, da qual é presidente, à disposição da Bienal. Certamente o evento trará grandes benefícios para Curitiba e também para o Paraná, contaremos com a presença de uma série de renomados autores e pessoas de destaque no cenário nacional. Acredito que a Bienal de Curitiba venha a contribuir com o fomento cultural e a difusão da boa literatura em nossa cidade, disse.

Uma das medidas de apoio já disponibilizadas pela Assembleia Legislativa, por meio da Frente Pró-Leitura, ao evento que deve mobilizar um público de mais de 40 mil pessoas, entre visitantes, artistas e expositores, é o lançamento oficial da Bienal Internacional do Livro de Curitiba na Casa Legislativa do Paraná. É muito importante estimular e divulgar a prática literária, principalmente entre jovens e crianças. A Bienal vai gerar impacto também na área de negócios e no turismo e hotelaria temos estrutura, potencial e mão-de-obra capacitada para marcar o evento na lista dos mais importantes da cidade, avalia Ney.

Para Julcio Torres, da Agência Esfera, um dos princípios básicos que nortearam a concepção da feira foi ter a certeza de que uma Bienal agregaria um valor muito maior ao evento do que somente uma feira de livros, mas também um evento multicultural. O espaço escolhido (Expo Unimed Curitiba), a possibilidade de reunir grandes nomes da literatura, editoras premiadas e novidades gerariam uma receptividade muito melhor do público em relação a produtos, exposições, autores e debates de questões relevantes da cultura. A análise das intervenções promovidas na língua portuguesa recentemente e que ainda geram polêmica em diferentes âmbitos é uma delas, comenta Torres.

Sobre a 1ª Bienal Internacional do Livro de Curitiba

Serão nove dias dedicados especialmente à cultura e à integração, sendo o livro a atração principal. Projetada em formato de exposição, o público terá a oportunidade de se aproximar de seus autores favoritos e acesso a livros. O espaço será dividido em área de exposições e atrações, onde serão realizados debates e promovidos sessões de bate-papo com personalidades do meio literário, lançamentos, sessões de autógrafos e atividades lúdicas.

A 1ª Bienal Internacional do Livro de Curitiba será realizada no Expo Unimed. Contará com uma estrutura de cerca de 8.365 metros quadrados reservados para as atividades. Serão aproximadamente 258 estandes espalhados pelo local, auditórios, espaços para cafés e praças, com opções de produtos de editoras, distribuidoras, gráficas, livrarias, de todo o País e do exterior.

A programação das atividades da Bienal privilegia a participação do público que poderá criar debater e interagir com os convidados e palestrantes. Por isso, elas serão realizadas durante o dia todo, começando pela manhã e se estendendo até a noite.

Nomes que já confirmaram presença no evento: Marília Pêra, Carlos Heitor Cony, Moacyr Scliar, Fernando Morais, Cristovão Tezza, Miguel Sanches Neto, Antônio Cícero, Ivan Junqueira, Domingos Pellegrini, Regina Zilbermann, Raimundo Carrero, Nelson Vieira, Carlos Herculano Lopes, Ruy Castro, Antonio Carlos Secchin, João Gilberto Noll, Wander Melo Miranda, Clarah Averbuck.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

17 − 6 =