Autor: ascom (Página 1 de 42)

Ney Leprevost vota favorável ao projeto para criação de censo para autistas no Paraná (Via #EquipeNL)

O deputado Ney Leprevost, líder da Frente Estadual da Saúde e Cidadania, votou favorável nesta segunda-feira (18), Dia Mundial do Orgulho Autista, ao projeto de lei que dispõe sobre a realização do censo quadrienal das pessoas com autismo ou Transtorno do Espectro Autista (TEA) no Paraná.

O censo vai mapear as condições socioeconômicas das pessoas com TEA e seus familiares e identificará desde o grau em que transtorno se manifesta (leve, moderado ou grave) até a escolaridade. O Programa será executado pela Secretaria Estadual de Saúde, sem onerar os cofres do Estado, e proporcionará a elaboração de políticas públicas de atendimento para essa população.

O projeto prevê a realização do censo e seu cadastramento a cada quatro anos e as informações contidas no Programa serão sigilosas e com uso exclusivamente para fins estatísticos. Atualmente, o Estado do Paraná não tem ideia do número de autistas. Com a falta de dados oficiais, os autistas são uma população quase invisível.

Ney ressaltou a importância de políticas, ações e estruturas de apoio voltadas as pessoas autistas. “É muito importante que as mães, os pais, os profissionais das áreas de educação e de saúde se atualizem sobre este assunto. O esclarecimento evita muitos problemas. Queremos ver todas as crianças sendo respeitadas e compreendidas. O amor não tem limites”, afirmou Ney.

A proposta foi dos deputados Marcio Pacheco, Péricles de Mello e Maria Victoria.

<< Transtorno do Espectro Autista (TEA) >>

O Autismo ou Transtorno do Espectro Autista (TEA) é considerado um transtorno do neurodesenvolvimento que faz com que a pessoa pense e reaja a situações de maneiras atípicas. Quanto mais cedo ele for diagnosticado, mais rapidamente a família pode iniciar as intervenções adequadas que consistem em terapias diversas, fonoaudiologia, acompanhamento psicológico, ensino adaptado e/ou outras abordagens.

(Via Assessoria de Imprensa – Pedro Mariucci Neto).

Crédito da foto: João Guilherme Clos.

Ney Leprevost defende que guardas passem a ser policiais municipais (Via #EquipeNL)

O deputado Ney Leprevost defendeu que seja alterado o estatuto geral dos guardas municipais para permitir que eles possam atuar como “policiais municipais”.

Ney justificou seu posicionamento alegando que estes profissionais já exercem a função de polícia com patrulhamento e proteção à vida. “A segurança pública só tem a ganhar com a inclusão desta categoria, pois terá um aumento no efetivo para controle da violência”, disse.

A Guarda Municipal é o órgão responsável pelo ordenamento urbano e do trânsito da cidade, o que inclui, além da fiscalização do trânsito, a coerção ao comércio ambulante irregular e da proteção de bens, serviços e instalações municipais. São prerrogativas das funções a proteção ao meio ambiente e ao patrimônio paisagístico e natural da cidade e a colaboração com os órgãos de segurança pública de nível estadual e federal para manutenção de espaços mais seguros.

(Via Assessoria de Imprensa – Pedro Mariucci Neto).

Projeto de Ney Leprevost bate de frente com políticos corruptos (Via #EquipeNL)

Com a justificativa de defender os princípios da legalidade, impessoalidade, moralidade, publicidade e eficiência no serviço público, o deputado Ney Leprevost apresentou projeto de lei que institui o programa “Política Sem Corrupção”.

Um projeto semelhante foi apresentado na Câmara Municipal de Curitiba pelo vereador Professor Euler (PSD), do mesmo partido do deputado Ney Leprevost.

Pela proposta, o programa prevê parceria do poder público com organização da sociedade civil de interesse público, que deverá fiscalizar, por sua conta, as condutas vedadas ao político ou administrador de empresa pública no exercício de sua função.

Entre as condutas que o projeto de lei de Leprevost pretende vedar estão:

– Não se aproveitar de sua autoridade e prerrogativas legais para obter vantagens indevidas.

– Não se aproveitar de sua influência política para favorecer ou prejudicar grupos econômicos.

– Não oferecer quantias ou bens materiais a qualquer cidadão ou grupo econômico em troca de votos.

– Não aceitar quantias ou bens materiais para agilizar, retardar ou modificar processos legislativos ou administrativos em favor de grupos econômicos.

– Não negligenciar nem deixar de cumprir, sem justificativa, suas funções e atividades inerentes à sua função.

– Não permitir que as vedações mencionadas nos incisos anteriores sejam violadas por qualquer outro agente político, devendo neste caso encaminhar as provas da violação aos órgãos competentes.

De acordo com Ney, que é autor da Lei da Ficha Limpa no Paraná e da Lei da Transparência proposta pelo Movimento Paraná que Nós Queremos “é preciso passar o Brasil a limpo. Um corrupto com sua caneta Mont Blanc mata mais do que cem bandidos armados e encapuzados. Ao superfaturar obras ele tira a merenda das escolas, o leite das crianças, o remédio dos idosos. Passou da hora de nos unirmos e jogarmos duro contra a corrupção”, afirmou.

(Via Assessoria de Imprensa – Pedro Mariucci Neto).

Página 1 de 42

Copyright © 2007-2017 Blog Ney Leprevost. Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por Abrigo Virtual