CPI DA SAÚDE PSIQUIÁTRICA INICIA LEVANTAMENTO TÉCNICO NO INTERIOR

Ministro da Saúde será convocado para depor em Novembro

Criada com intenção de verificar a terrível situação junto à saúde mental no Estado do Paraná, a CPI da Saúde Psiquiátrica foi proposta pelo deputado Ney Leprevost. Alguns dos tópicos já debatidos e investigados foram: a falta de leitos, o fechamento de ambulatórios de saúde mental, as atividades dos profissionais de psiquiatria, a desassistência aos dependentes de crack, a falta de medicamentos para o tratamento, o fim da residência médica em hospitais e o abandono aos doentes mentais graves.

A Comissão passa agora por um levantamento técnico e administrativo onde os coordenadores e membros seguirão apurando denúncias e colhendo informações para juntar aos processos. Os trabalhos se estenderão também aos municípios do interior do Paraná para saber se a situação da Capital se reflete também no interior do Estado.
 
Na 1ª Reunião, cujo depoente foi o Dr. André Rotta, presidente da Sociedade Paranaense de Psiquiatria, tratou-se sobre numerosa fila de espera para internamento na e Região Metropolitana de Curitiba e a consequente falta de leitos. Constatou-se, ainda, que mais de 5.000 pacientes aguardam por uma vaga.

Na segunda reunião, falou o Dr. Marcelo Heyde, responsável pela área de psiquiatria do Hospital Nossa Senhora da Luz. O médico contou que o fechamento do Hospital em 2013 gerou um aumento na fila de espera e levou à extinção de 440 leitos psiquiátricos só na cidade de Curitiba. Desde então, o Governo Federal prometeu abrir novos leitos no Hospital Cajuru, mas até o presente momento isso não ocorreu. Heyde declarou, ainda, que estão disponíveis na rede pública somente dois medicamentos antidepressivos, impossibilitando um melhor resultado no tratamento de pacientes em surto.

A terceira reunião abordou a situação do Hospital San Jullian e o depoente foi o Dr. Ricardo Sbalqueiro, diretor clínico do Hospital e médico psiquiátrico do CAPs de Piraquara. Ele falou sobre a situação do hospital, porque não é mais utilizado pela prefeitura, também fez denúncia sobre a não utilização de leitos, mesmo existindo vagas e sua experiência junto ao CAPs de Piraquara.  

Na quarta e quinta reunião, o Dr. Guilherme Gois, diretor da Clínica Ômega, relatou sobre a situação dos Ambulatórios. O médico afirmou que são poucos os Ambulatórios existentes para atender a grande demanda. Houve, ainda, o fechamento de importantes centros nos últimos anos em função dos atrasos dos repasses de verbas pelo Governo Federal. Se esses atrasos continuarem há o risco de novos ambulatórios serem fechados. Essa é a grande preocupação dos médicos e profissionais que trabalham na área pois não sabemos para onde encaminhar estes pacientes graves. Nós confiamos que a CPI vai conseguir abrir os olhos do Governo sobre a atual situação da psiquiatria.

Devido a estes dados alarmantes e denúncias que foram feitas e encaminhadas ao Ministério Público do Paraná, incluindo o fato de adolescentes dependentes químicos serem atendidos junto com os adultos, o deputado Ney Leprevost confirmou que em Novembro pretende convocar o ex-ministro da Saúde, Alexandre Padilha, e o atual Arthur Chioro, para prestarem esclarecimentos sobre a situação da saúde psiquiátrica não só no Paraná mais também em todo o país.

Compõem a CPI os deputados Ney Leprevost, Luiz Cláudio Romanelli, Stephanes Júnior, Osmar Bertoldi, Professor Lemos, Felipe Lucas e Gilson de Souza. Os suplentes são: Waldir Pugliesi, Marla Tureck, Duílio Genari, Pedro Lupion, Luciana Rafagnin, Tercílio Turini e Pastor Edson Prazczyk.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

3 × 2 =