DEPOENTE AFIRMA EM CPI DA SAÚDE PSIQUIÁTRICA QUE EPIDEMIA DE CRACK É REAL E PREOCUPANTE

Em quarta reunião da CPI da Saúde Psiquiátrica, nesta terça-feira (15/7), presidida pelo deputado Ney Leprevost, o Dr. Ricardo Sbalqueiro, diretor do Hospital San Julian declarou que a epidemia de dependentes de crack no Brasil é sim uma realidade. O maior problema é que esta droga tira a autonomia e a capacidade produtora dos doentes. Para o Dr. Sbalqueiro, a solução estaria na educação e prevenção com orientações feitas em casa, nas escolas, nos veículos de comunicações e em toda sociedade. 

De acordo com essas estatísticas, Leprevost vem elaborando um Projeto de Lei que inclui no currículo das escolas estaduais a educação e prevenção às drogas. “O crack é uma das drogas mais perigosas e destrutivas nos dias atuais. Seu consumo traz dependência imediata. Esses pacientes precisam de atendimento e acompanhamento contínuo, antes e depois do internamento” lembra Leprevost.

Para solucionar o problema, Sbalqueiro acredita que é urgente a reforma do sistema psiquiátrico brasileiro pois o mesmo não trabalha em rede, não ajuda o paciente em surto e atrapalha seu tratamento. “O aumento do número de doentes nos presídios é alarmante: 47% da população carcerária no Brasil tem dependência química, outros 10% tem risco de cometer suicídio, 26% tem psicose grave e 16% são depressivos. Existem nos presídios pacientes que deveriam estar em tratamento, mas que acabam presos por cometerem crimes que poderiam ser evitados se o tratamento psiquiátrico fosse correto e eficaz”, declara o Dr. Sbalqueiro.

As denúncias feitas à CPI estão sendo investigadas pois são extremamente sérias. A situação da saúde mental é grave e coloca em risco a vida de pacientes, familiares e da sociedade como um todo.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

2 + onze =