Deputado pede à Secretaria de Saúde medidas preventivas contra bactéria KPC

O presidente da Comissão de Saúde, deputado Ney Leprevost, preocupado com os casos de infecção pela bactéria KPC, no Paraná, encaminhou ofício ao secretário de Estado da Saúde, Carlos Augusto Moreira Junior, solicitando medidas preventivas para conter o problema e evitar mais tragédias.
Desde que foi detectada, a bactéria multirresistente Klebsiella (KPC) já contaminou 312 pessoas só no Hospital Universitário (HU) de Londrina, totalizando mais de 10 mortes.
A carbapenemase (o C da KPC) é uma enzima que dá a alguns tipos de bactérias resistência a antibióticos de uso habitual. Os casos estão restritos a pessoas hospitalizadas, com baixa imunidade. A bactéria pode ser transmitida por contato direto ou pelo uso de objetos em comum.
Em 28 de julho, o HU fechou o pronto-socorro, a UTI e outros setores devido à presença da bactéria em diversos pacientes. O Hospital evangélico também registrou casos de contaminação em seis pacientes.
A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) tornou obrigatório o uso de álcool (líquido ou gel) para a assepsia dos profissionais de saúde, visitantes e pacientes nos hospitais públicos e privados com o objetivo de conter os casos de KPC no país.
Outros Estados também já registraram contaminação pela KPC, como Minas Gerais, São Paulo, Espírito Santo, Goiás, Santa Catarina, Paraíba, Pernambuco e Distrito Federal.
É preciso conter a evolução desta bactéria para que não se torne uma epidemia. O Paraná está alarmado, e por isso estamos pedindo urgência na tomada de providências por parte da Secretaria de Estado da Saúde, afirmou Ney.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

14 + seis =