FARDAMENTO PRETO DEVE SER EXCLUSIVO DAS FORÇAS ESPECIAIS DAS POLÍCIAS, PROPÕE LEPREVOST

                     
Por solicitação do COPE Centro de Operações Policiais Especiais o deputado Ney Leprevost apresentou Projeto de Lei estabelecendo que o uso do fardamento preto, que identifica os grupos especiais das polícias Civil e Militar, seja exclusivo destas forças, bem como o uso do escudo identificador das Polícias Estaduais e Guardas Municipais.

A medida tenciona possibilitar a distinção entre as forças policiais especiais e as seguranças particulares, de maneira que não fique confuso aos civis e não exponha os vigilantes particulares a situações de risco desnecessário.

O uniforme preto já usado pelos grupos de operações especiais se sobressai como fator surpresa. A banalização do uso da cor preta prejudica o trabalho dos policiais altamente treinados das forças policiais especiais, além de dificultar a identificação por parte da população. Se o preto for de uso exclusivo das polícias especiais, quando um grupo deste chegar, o cidadão já saberá que é para uma ação onde a qualificação extrema é fundamental, justifica Leprevost.

Pelo projeto, as empresas de segurança privada teriam 180 dias para se adaptarem à nova lei, que prevê sanções financeiras proporcionais às eventuais infrações.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

treze + quatro =