LEPREVOST FAZ DENÚNCIA NA POLÍCIA FEDERAL E TOPA ASSINAR CPI

O deputado Ney Leprevost, líder da Frente Estadual.da Saúde e Cidadania, ocupou a tribuna da Assembléia Legislativa nesta quarta-feira. Em tom sereno e franco, Leprevost mostrou provas de que sua dobrada na eleição de 2010 foi com o candidato a deputado federal Marcelo Almeida, irmão dos empresários Guilherme e Ricardo Beltrão de Almeida.
Sou amigo da família há muitos anos, compactuo de ideais semelhantes ao do Guilherme e do Ricardo, tenho orgulho de ter como parceiro de dobrada um cara inteligentíssimo que é o Marcelo. Consegui transferir 1/3 dos meus votos para ele e ao me ajudar, era a campanha do próprio irmão que a família Beltrão de Almeida estava ajudando.
Leprevost voltou a lembrar que suas contas de campanha estão aprovadas pelo Tribunal Regional Eleitoral e encaminhou a Mesa Executiva da Assembleia Legislativa cópias dos requerimentos que fez ao Ministério Público Federal, ao Ministério Público Estadual e a Polícia Federal pedindo investigações sobre suposto envolvimento de autoridades com benefícios financeiros relacionados a proteção ou achaques a empresas de pedágio.
Leprevost disse acreditar que o Ministério Público e a Polícia Federal tem mais isenção do que qualquer político para investigar eventuais delitos cometidos por empresas de pedágio, mas garantiu que se a Assembléia Legislativa quiser fazer uma CPI séria e isenta para tratar do assunto, não tem problema nenhum em dar a sua assinatura. Tem que ser CPI pra valer. Não vou concordar com a criação de dificuldades para venderem facilidades. Assino, mas vou fiscalizar de verdade, declarou o deputado.
Perguntado pelos repórteres sobre quem seria um deputado que poderia fazer uma investigação séria e sem achaques, para surpresa de todos, Leprevost sugeriu o nome de Tadeu Veneri, presidente da Comissão de Direitos Humanos da ALEP.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

sete − 4 =