LEPREVOST PROPÕE RESGATE HISTÓRICO E PRESERVAÇÃO DA “BOCA MALDITA”

O deputado Ney Leprevost  protocolou projeto de lei instituindo a data de 13 de dezembro, como o Dia da Boca Maldita inserindo no Calendário de Eventos do Estado do Paraná.                                                                                                                                                                                                                 Segundo Leprevost, oficialmente fundada há  58 anos,  a Boca Maldita é a denominação de um espaço, sem área determinada mas ao redor dos cafés, bancas de revista e bancos do calçadão na Avenida Luiz Xavier (Rua das Flores) no centro de Curitiba.  E prossegue Leprevost, o espaço cresceu, porém hoje com o avanço imobiliário no centro da cidade, o tradicional local está ficando reduzido, não sendo renovado urbanisticamente.E assim corre o risco de num futuro próximo desaparecer o tradicional e histórico palco de muitos acontecimentos, principalmente políticos com repercussão nacional.Conforme registros o local já foi freqüentado por  presidentes da república, como também por governadores não só do Paraná  como de outros Estados.   
O PARANÁ QUE NÓS QUEREMOS
Ney também lembrou que foi na Boca Maldita,há quase quatro anos, que aderi ao movimento O Paraná que Nós Queremos onde milhares de paranaenses participaram da iniciativa deflagrada pela série de matérias da Gazeta do Povo e da RPC TV Diários Secretos e que resultou na Lei da Transparência  de minha autoria. E prosseguiu: recordo-me que dos 54 deputados estaduais paranaenses eu e os deputados Marcelo Rangel e Tadeu Veneri compareceram ao palanque da Boca Maldita para ouvir a sociedade paranaense, que se fez representar por cerca de 30 mil pessoas.
E acrescenta Foi um momento histórico pois a Lei da Transparência vem sendo aplicada no Portal da Transparência da Assembléia desde então. Quando a sociedade se mobiliza e exerce a cidadania, mudanças acontecem. Essa vigilância em relação ao poder público deve ser permanente. Porisso considero que a Boca Maldita é um marco histórico que não deve ser esquecido”.  
MEMÓRIA 
Para Ney Leprevost, preservar a memória institucional é manter uma instituição viva.  E para que essa memória seja preservada, é preciso conservar fotos, documentos, objetos e organizar os registros dos fatos. A Boca Maldita tem tudo isso, mas de forma diluída em poder de freqüentadoresSegundo o deputado Também é preciso olhar para as pessoas, pois a história institucional é uma construção que traz em si as marcas das pessoas  que dela fazem parte.Leprevost informou ainda que enviará ofícios aos principais órgãos municipais, além do prefeito, para que seja  dada uma atenção especial à Boca Maldita, com estudos arquitetônicos, material informativo que conte de como surgiu  deste histórico local e sirva como fonte de consulta. Trata-se de um atrativo de Curitiba  que pode se tornar um ponto turístico e informativo da história política do País,    ressalta Leprevost.  Ressalta Leprevost que São fatos marcantes no cenário politico , onde por exemplo, quando em 19 de dezembro de 1953 o   Presidente Getúlio Vargas fez um discurso naquele local  que três anos depois seria oficialmente criada a Boca Maldita. Em data mais recente de 30 anos atrás no período das Diretas Já a Boca foi o berço das primeiras manifestações nacionais. Também foi a partir de um dos freqüentadores da Boca Maldita, que teve início  o  escândalo do mensalão cuja cena de entrega da propina  foi estampado na mídia nacional e até hoje ainda repercurte,ressaltou Ney.A foto  ilustrativa é a capa do livro-reportagem Boca Maldita de Curitiba- Reduto da Democracia, lançado recentemente, de autoria do advogado e jornalista Lineu Tomass.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

9 + 3 =