Ney cria Frente Parlamentar da Saúde contra o Crack

Paraná pode ter primeira Secretaria Especial de combate ao Crack.

  Levando em conta a epidemia do crack que assola todo o país, o deputado Ney Leprevost protocolou a criação da Frente Parlamentar da Saúde Contra o Crack. 
Este será mais um reforço que estamos propondo para cobrar das autoridades o  combate eficaz e urgente da epidemia desta doença que está assustando todo o país, afirma Ney Leprevost.

O objetivo da referida criação é posicionar-se a favor das iniciativas que visem uma sociedade livre do crack, conscientizar jovens e adultos contra o uso e abuso desta droga fatal e contribuir na recuperação dos dependentes.
Além disso, mostrar a importância do envolvimento do Poder Público e o maior número de parceiros possíveis nessa rede que se forma na batalha contra o crack e estimulá-lo a criar ações para que um maior número de jovens se insiram nesta luta e se tornem propagadores desta ideia.

Como forma de incentivo, conscientizar as instituições de ensino a divulgarem os riscos da utilização desta perigosa droga e a criação de instituições que visem recuperar os dependentes. Esta é uma questão de humanismo e segurança da população.
A droga ameaça a vida de 25 mil jovens brasileiros e outros 600 mil fazem uso frequente de crack.

Estes dados são realmente alarmantes, não podemos mais esperar que isto fique pior e mais pessoas acabem falecendo, devido ao uso do crack. Vamos fazer a nossa parte, conta Leprevost.

Secretaria Especial de Combate ao Crack

Segundo a delegada do Departamento de Combate ao Narcotráfico da Polícia Civil (Denarc), Ana Paula Cunha Carvalho, só neste ano, já foram apreendidos mais de 60kg de crack em Curitiba. No Paraná, estima-se que mais de 60 mil pessoas já são dependentes desta perigosa droga.

O deputado, preocupado com esta epidemia, já realizou diversas reuniões da Comissão de Saúde, na intenção de obter mais informações, de pessoas engajadas neste tema, para poder cobrar das autoridades providências imediatas para conter o avanço deste problema e já pensa em propor ao governador Orlando Pessuti a criação da Secretaria Especial de Combate ao Crack.

O Denarc já faz um excelente trabalho de combate aos traficantes das mais variadas modalidades de entorpecentes, mas o crack tem peculiaridades. A principal delas é que 70% dos consumidores tornam-se violentos, explica o presidente da Comissão de Saúde, Ney Leprevost.
Creio ser necessária uma estrutura pequena, extremamente eficiente e incorruptível, que atue em parceria com as polícias e os profissionais de saúde, exclusivamente para fazer a prevenção, combater o tráfico e promover a recuperação dos dependentes do crack, afirma Ney. 

 

 

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

cinco − quatro =