Ney Leprevost chama atenção para a necessidade de oferta de mamografia no Paraná

Deputado diz que brincadeira preconceituosa do governador é um desserviço ao dignóstico precoce do câncer

A piada do governador relacionando câncer de mama masculino com a homosexualidade causou choque a toda comunidade paranaense, que, indignada, já vem protestar e pedir que Requião se retrate.

Para o deputado Ney Leprevost, presidente da Comissão de Saúde da ALEP, a brincadeira de mau gosto do chefe do Executivo paranaense é uma oportunidade para relembrar a importância do diagnóstico precoce e a necessidade perene de exames de mamografia. O câncer é responsável por milhares de mortes todos os anos; são vidas ceifadas, em sua maioria, por falta de uma detecção prévia da doença. O problema é que a mamografia é um exame caro e , quando fornecido pelo poder público, demora muito, o que pode acarretar o desenvolvimento do tumor, posteriormente uma situação incurável, explica Ney.

Leprevost lembra ainda que o projeto de sua autoria garantindo a mamografia gratuita a mulheres com 35 anos ou mais em até 30 dias, infelizmente, recebeu o veto do governador, retornando à Assembléia para apreciação: É lastimável um projeto tão importante como este, que poderia poupar vidas, ter recebido o veto do Governador. Como presidente da Comissão de Saúde, acompanho de perto a peregrinação dos pacientes em filas de hospitais aguardando atendimento. Além de precisarem enfrentar a exaustão da espera, esses cidadãos trabalham contra o preconceito e enfrentam a difícil batalha contra a doença. O governador deveria, ao contrário do que declarou, estimular a prática dos exames de prevenção, opina Leprevost.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dezenove − doze =