NEY LUTA PELA APROVAÇÃO DA EMENDA 29 COM A FRENTE ESTADUAL DA SAÚDE E CIDADANIA

Leprevost é contra volta da CPMF
 
O coordenador da Frente Estadual da Saúde e Cidadania, deputado Ney Leprevost, engrossa o coro dos parlamentares que apoiam a votação e consequente aprovação da Emenda 29 no próximo dia 28 de setembro, pelo Congresso Nacional.
 A emenda da saúde, como é conhecida a Emenda Constitucional 29, já vem tendo sua votação protelada há anos, o que impede que o percentual de 12% das arrecadações de impostos da União, dos Estados e dos Municípios seja destinado obrigatoriamente para investimentos exclusivamente na área da saúde.
 Há um descontentamento nacional com a precariedade de todos os serviços de saúde pública no país, o que poderia ser revertido com a aprovação da Emenda 29 e a garantia constitucional de investimento dos impostos que o contribuinte paga, evitando igualmente que ressuscitem a malfadada e extinta CPMF, explica Ney.
 A mobilização nacional batizada de Primavera da Saúde acontecerá entre os dias 14 a 28 de setembro data programada para a votação da Emenda 29 para que esta data seja respeitada e finalmente seja votada a emenda que garantirá maiores investimentos para a combalida saúde pública brasileira.
 A programação começa no dia 14, quando a Confederação Nacional dos
Municípios (CNM) levará a Brasília mil prefeitos de todo o País, para exigir a regulamentação da Emenda 29 e a derrubada do veto do ex-presidente Lula ao Projeto que distribui os royalties do petróleo do Pré-Sal para todos os Estados, não só os produtores. As entidades da saúde, inclusive membros do Conselho Nacional de Saúde, prometem juntar-se ao coro dos prefeitos.
 
No dia 27 de setembro, véspera da votação, será realizada a grande
manifestação, em que milhares de pessoas, com flores nas mãos, vão
promover uma concentração em frente ao Congresso Nacional e um abraço
simbólico no Palácio do Planalto. Os organizadores desejam levar um
ramalhete à presidente Dilma Roussef. A mobilização será estendida ao dia
28, até que o Destaque que resta para a aprovação da matéria seja votado
em plenário.
Leprevost ressalta que é radicalmente contra a volta da CPMF (imposto do cheque). Os brasileiros já deixam 39% do que produzem em impostos. O governo tem que ser mais competente na gestão deste dinheiro, ao invés de ficar tentando criar mecanismos para tirar o dinheiro do povo, afirma Ney.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

3 + 18 =