Ney reafirma posição contra imposto do cheque

O presidente da Comissão de Saúde, deputado Ney Leprevost reafirma sua posição contra a CPMF, o chamado imposto do cheque.
 
Com a eleição da nova presidente do Brasil, Dilma Roussef, os rumores de que a CPMF poderá estar de volta, deixaram a população apreensiva. A presidente eleita disse que não pretende criar novos impostos, mas deu uma declaração dúbia sobre o tema. Não posso ficar surda ao apelo que alguns governadores estão fazendo pela volta da CPMF, afirmou Dilma, em entrevista.

A CPMF foi criada em caráter provisório, há 11 anos atrás, e a destinação deste tributo, que seria para a saúde não foi cumprida de forma satisfatória.  Não existem justificativas para que o governo federal volte a cobrar o imposto do cheque. É acima de tudo imoral, pois o objetivo pelo qual ele foi criado não foi cumprido, afirmou Ney.

Na opinião de Leprevost, a saúde do Brasil pode melhorar com outras atitudes que o governo pode tomar, como regulamentar a emenda constitucional nº 29, que estabelece que 12% da receita líquida dos estados seja investida em assistência a saúde.
Os brasileiros trabalham cinco meses por ano só para pagar impostos. O que precisamos é que esse dinheiro seja melhor investido, disse Ney.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

1 × um =