PROJETO DE LEI DE NEY LEPREVOST SOBRE “PÉ DIABÉTICO” ESTÁ EM DEBATE

O deputado Ney Leprevost, líder da Frente Estadual da Saúde e Cidadania, promove no próximo dia 27, reunião na Sala de Comissões da Assembléia Legislativa, para debater projeto de lei  de sua autoria, para a implantação do Programa Paranaense de Saúde do Pé Diabético no Estado do Paraná.Na oportunidade, autoridades da saúde dos governos municipal e estadual se reúnem com médicos especialistas em feridas para avaliar um novo tratamento que pode desobstruir as filas de internações dos hospitais. Conhecido como Terapia V.A.C., o tratamento opera por meio de esponjas que reproduzem pressão negativa em úlceras crônicas com a ajuda de um aparelho de sucção, acelerando o processo de desinfecção e cicatrização. MENOR TEMPO A tecnologia, se aprovada, pode reduzir o tempo de tratamento de feridas em até um terço do que hoje demoram os métodos convencionais. Já tive pacientes que ficaram com feridas abertas por mais de 30 anos. Esta talvez seja uma grande oportunidade para que o poder público devolva a dignidade a quem sofreu uma vida toda devido à falta de tratamento adequado, argumenta o médico especialista em feridas Adriano Mehl, membro da Sociedade Brasileira de Tratamento Avançado de Feridas. Para Leprevost O referido Programa tem como intuito estimular a prevenção, bem como contribuir para a diminuição dos casos de amputação de membros inferiores de pacientes diabéticos, proporcionando uma melhora na qualidade vida e diminuindo os efeitos psicológicos deste procedimento. Além disso, as atividades preventivas irão reduzir os casos diretos e indiretos decorrentes da amputação.O encontro reunirá  representantes das secretarias municipal e estadual de saúde, além de uma junta médica composta por especialistas de diversos hospitais e instituições de ensino do Paraná. Entre eles destacam-se os Doutores Adonis Nasr, Chefe da Cirurgia Geral do Hospital do Trabalhador; Guataçara Salles Junior, Cirurgião Plástico Reconstrutor do Hospital do Trabalhador de Curitiba; Dr. Renato Farias, Chefe da Cirurgia Plástica do UFRP HC de Curitiba; e Adriano Mehl, membro da ABRATAFE e Médico Especialista em Feridas do Ambulatório de feridas e Pés diabéticos do Hospital Pilar.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

três × cinco =