Gerdau vai gerar 300 novos empregos diretos em Araucária

A Gerdau Brasil vai retomar no segundo semestre deste ano as operações de produção de aço na unidade localizada em Araucária, Região Metropolitana de Curitiba. A intenção é criar 300 novos empregos diretos na região, nos setores da construção civil, infraestrutura e indústria.

As tratativas para a retomada das atividades foram alinhadas nesta terça-feira (04), em reunião no Palácio Iguaçu entre o governador Carlos Massa Ratinho Junior, o vice-governador Darci Piana, o secretário de Justiça, Família e Trabalho do Paraná, Ney Leprevost, o presidente da Paraná Invest, Eduardo Beking e a diretoria da maior empresa brasileira produtora de aço.

O investimento total para o retorno das atividades é de R$ 55 milhões. “É sempre bom receber notícias de investimentos. Mesmo com a pandemia, os investidores continuam apostando no Paraná e na capacidade de trabalho da nossa gente. Batemos recordes seguidos de carteiras assinadas em 2021 e esses investimentos privados ajudarão o Estado a ter um horizonte ainda melhor nos próximos meses”, afirmou o governador Carlos Massa Ratinho Junior.

De acordo com o secretário Ney Leprevost, “a volta da Gerdau é uma notícia extraordinária. Agora, ela vem para atuar na sua plenitude, gerando empregos diretos. Tenho certeza de que isso vai movimentar muito não apenas a economia de Araucária, mas de toda a Região Metropolitana de Curitiba”.

“Estamos otimistas com as boas perspectivas apresentadas para o mercado doméstico. Com o reinício da produção, a empresa visa seguir atendendo o aumento da demanda por aços longos no Brasil, bem como otimizar o fornecimento de produtos aos clientes em todo o País”, afirma Marcos Faraco, vice-presidente da Gerdau.

A Gerdau possui oito filiais comerciais no Paraná, que são como grandes lojas de venda e distribuição de produtos de aço. Elas estão localizadas em Cascavel, Curitiba, Guarapuava, Londrina, Maringá, Pato Branco, Ponta Grossa e Umuarama.

(Via Assessoria de Imprensa – Luiz G. Mazza Neto – com informações da AEN).

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *