ASSOCIAÇÃO MÉDICA DO PARANÁ (AMP) APOIA PROJETO DE LEPREVOST QUE PROÍBE ATUAÇÃO DE MÉDICOS NO PARANÁ SEM O “REVALIDA”

O deputado Ney Leprevost, líder da Frente Estadual da Saúde e Cidadania, recebeu visita em seu gabinete do presidente da Associação Médica do Paraná AMP, João Carlos Baracho, que foi manifestar apoio ao projeto de lei do deputado que visa proibir no Paraná a atuação de médicos não portadores de registro no Conselho Regional de Medicina (CRM). Também estiverem presentes José Fernando Macedo, vice-presidente da entidade paranaense e vice-presidente da Associação Médica Brasileira-AMB e Fabiano Sponholz Araújo, advogado da AMP.

Durante a visita, o presidente da AMP, João Carlos Baracho,disse que “a prova de revalidação de diploma é a garantia mínima de que um profissional formado fora do Brasil tem condições técnicas e éticas de exercer a medicina em nosso país. Expor a população paranaense ao atendimento de médicos sem essa capacitação comprovada é um risco à saúde pública de nosso estado”.  

E prosseguiu: “A classe médica paranaense está de braços abertos para médicos estrangeiros interessados em trabalhar aqui. Desde que eles provem que têm condições para isso, submetendo-se a uma prova elaborada, assim como qualquer brasileiro que quer trabalhar fora do país é submetido. Parabéns ao deputado Leprevost que está sempre atento na defesa  de  assuntos que dizem respeito à saúde

A propósito do assunto na próxima quarta-feira (4) acontece Audiência Pública sobre aprovação do Projeto de Lei 224/2013, de autoria do deputado Ney Leprevost, que visa proibir no Paraná a atuação de médicos não portadores de registro no Conselho Regional de Medicina (CRM). O convite está sendo feito além da classe médica, aos estudantes, representantes de entidades representativas da área de saúde e ao público em geral. 

O projeto de Ney Leprevost, líder da Frente Estadual da Saúde e Cidadania protocolado no início de junho também estabelece que para o CRM conceder registro profissional a médicos formados no exterior, será exigida a aprovação  em prova de conhecimento de conteúdo especifico realizada por instituição de ensino superior estadual ou federal  ou aprovação no Exame Nacional de Revalidação de Diplomas Médicos Expedidos por Instituições de Educação Superior Estrangeiras (Revalida).

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

5 × 4 =