Bonde histórico voltará a circular em Curitiba

Ney Leprevost começou a mobilização em 2005, quando foi vereador

Como uma das medidas já pensando em 2014, quando Curitiba se tornará uma das sedes da Copa do Mundo, a Prefeitura resgatou um antigo projeto defendido por Ney Leprevost, quando foi vereador, em prol do patrimônio cultural da cidade: o resgate dos bondinhos que circulavam no centro.

 Em julho de 2005, Leprevost anunciava que a Prefeitura estava à procura de uma empresa privada interessada em patrocinar a recuperação do bonde que estava abandonado desde 2003, quando foi retirado de exposição na Praça Tiradentes: Acompanhei uma visita do jornalista Cândido Gomes Chagas a um depósito no Parque Tingui, onde o veículo se encontrava em péssimas condições de armazenamento, correndo o risco de depredação ou de ser incendiado por vândalos, conta Ney. Já naquela época, o deputado enviou ofício alertando o prefeito Beto Richa do risco que parte do patrimônio curitibano corria e pediu que fosse feito um orçamento dos custos da recuperação do transporte.
 
 Para Richa, muito mais do que um resgate histórico, o projeto do bonde contempla uma estratégia cuidadosamente planejada para transformar o turismo em uma importante fonte de renda, geradora de novos negócios e novos empregos. É bom lembrar que, recentemente, Curitiba foi eleita como melhor novo destino de negócios do País e a quarta cidade brasileira para se fazer turismo. Além disso, temos uma oportunidade especial com a Copa do Mundo em 2014. Vamos atrair mais visitantes com uma série de ações como a implantação de novos eventos no calendário oficial, revitalização do bonde turístico e da Rua 24 Horas, a criação de novos roteiros e o aumento do número de ônibus da Linha Turismo, com novas rotas, entre outras novidades, estão nos planos para a indústria do turismo em Curitiba, destaca.

 Em 2005, Leprevost já vislumbrava a possibilidade do bonde circular em parques ou regiões que precisassem de revitalização exatamente o alvo do projeto da Prefeitura, que hoje abraça o Centro como canteiro de obras em busca do resgate do valor econômico e cultural da região. O bonde é um marco na história do transporte coletivo de Curitiba. Hoje, inclusive por conta da vinda da Copa do Mundo para a cidade, acredito que muitas empresas estarão dispostas a investir em ações culturais. Fico feliz em constatar que o prefeito Beto Richa e sua equipe estão se movimentando para colocar o bonde em funcionamento, afirma Ney.

 Agora, o bonde será restaurado e terá seus mecanismos de locomoção adaptados para a eletricidade energia ambientalmente responsável, para que o veículo possa circular no trajeto que passa pelas ruas Riachuelo e Barão do Rio Branco.  A idéia não é fazer do bonde mais um veiculo de transporte coletivo, mas sim uma alternativa de turismo no centro de Curitiba, o que deverá movimentar a região, trazendo benefícios aos comerciantes e moradores.

 Segundo Maurício Sá de Ferrante, Assessor de Projetos Especiais da Prefeitura, um dos coordenadores da revitalização do Centro, o resgate dos bondinhos é apenas uma parte do grande plano de investimento, que contempla também a Copa do Mundo 2014. As obras são independentes da Copa, já em 2005 o prefeito trabalhava para retomar os bondes. No entanto, não podemos negar que o advento do evento esportivo deve acelerar a angariação de investidores, analisa. Ferrante diz ainda que a Prefeitura pretende começar as obras em 2010, e que a instituição ainda está em busca do segundo bonde: Um deles já está em poder da Prefeitura. Já estamos em contato com países europeus para encontrar um bonde nos moldes dos que circulavam em Curitiba no século passado, conclui.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dois × quatro =