LEPREVOST APOIA MOBILIZAÇÃO DOS MÉDICOS

O deputado estadual Ney Leprevost, líder da Frente Estadual da Saúde e Cidadania, manifestou  apoio  à  mobilização nacional dos médicos e da sociedade com passeatas em todo território nacional , principalmente contra a intenção do Governo Federal  em trazer médicos do exterior para trabalhar no Brasil.
Ney lembrou que já em junho desse ano, portanto antes do pronunciamento da presidente Dilma , protocolou  um projeto de lei estabelecendo que só poderão trabalhar no Paraná médicos portadores de registro profissional do Conselho Regional de Medicina ( CRM) do seu respectivo Estado.
O projeto também estabelece que para que o CRM conceda registro profissional a médicos formados no exterior, será exigida a aprovação em prova e conhecimento de conteúdo especifico realizada por instituição de ensino superior estadual ou federal ou aprovação no Exame Nacional de Revalidação de Diplomas Médicos Expedidos por Instituições de Educação Superior Estrangeiras (Revalida).
O deputado disse   que é preciso melhorar os hospitais, disponibilizar remédios e  criar um plano de carreira para todos os  profissionais de saúde.
Ainda sobre o projeto de sua autoria, Ney cita que também inclui a exigência de aprovação em prova de domínio do uso do idioma pátrio, em caso de estrangeiros que se naturalizarem brasileiros, para concessão de registro profissional a médicos formados em países de língua nãoportuguesa. O artigo mais importante do projeto de Leprevost,estabelece que o Governo o Paraná crie programa de incentivo para que os médicos se instalem  no interior do Estado.
De acordo com o parlamentar, os médicos devidamente registrados no Conselho Regional de Medicina, tem sua atuação profissional balizada pelos conceitos éticos do Código de Ética Médica, a capacitação acadêmica devidamente avaliada e sua conduta profissional fiscalizada, o queassegura a prática de uma medicina de qualidade em nosso estado.
MANIFESTAÇÃO
Referindo-se a manifestação dos médicos nesta quarta-feira, disse apoiar os principais reivindicações da classe, tais como: 
1)  Aprovação urgente da PEC 454 em tramitação na Câmara dos Deputados, que prevê uma carreira de Estado para o médico (semelhante ao que ocorre no Judiciário), único caminho para estimular a interiorização da assistência com a ida e fixação de médicos em áreas de difícil provimento;

2) Incentivar a coleta de 1,5 milhão de assinaturas para tornar viável a apresentação do Projeto de Lei de Iniciativa Popular Saúde + 10, que prevê mínimo de 10% da receita bruta da União em investimentos na saúde;
3) Defender a derrubada do Decreto Presidencial 7562, de 15 de dezembro de 2011, que modificou a Comissão Nacional de Residência Médica, tornando-a não representativa e refém dos interesses do Governo, o que sucateou a formação de médicos especialistas no país;
4) Atuar contra a importação de médicos estrangeiros sem revalidação de seus diplomas com critérios claros e rigorosos, conforme a prática mundial e o previsto na legislação vigente. Defesa do uso do Programa Revalida, do Governo Federal, em seus moldes atuais;
5) Vistoriar as principais unidades de saúde do país, encaminhando denúncias ao Ministério Público e outros órgãos de fiscalização, revelando a precariedade da infraestrutura de atendimento que afeta  pacientes e profissionais.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

catorze − três =