LEPREVOST PEDE PROVIDÊNCIAS DA PROCURADORIA DA REPÚBLICA SOBRE DESCASO DE MINISTÉRIO COM VACINAÇÃO

O deputado Ney Leprevost, líder da Frente Estadual da Saúde e Cidadania, fez um contundente pronunciamento na tribuna da Assembléia Legislativa nesta terça-feira, citando indiferença do Ministério da Saúde quanto  ao seu   pedido de vacinação  da gripe Influenza para todos os paranaense e não apenas para aquelas pessoas  incluídas no grupo de risco.

Já fiz muitos pronunciamentos sobre esta grave situação e encaminhei diversos ofícios às autoridades de saúde. Meu sentimento é de tristeza e indignação. Mas não vou desistir e continuarei nesta luta. Agora mesmo protocolei denuncia na Procuradoria da República, relatando o descaso, enfatizou Ney. 

Enquanto o Ministério da Saúde se omite, os paraenses continuam morrendo em decorrência da gripe, fato comprovado a cada boletim divulgado pela Secretaria Estadual de Saúde (Sesa), destaca o parlamentar. 

GRIPE MAIS INTENSA ESTE ANO

Em nove boletins divulgados pela Sesa, estão confirmadas a morte de 47 pessoas por gripe, no Paraná, sendo 38 pela Influenza A (H1N1), uma por Influenza A (H3N2) e oito por Influenza B. Desde janeiro já foram registrados 1.l62 amostras positivas para o vírus Influenza no Paraná.
Segundo a própria fonte da Sesa, o vírus Influenza está circulando com mais intensidade no Paraná neste ano.

É possivel constatar pelos dados oficiais que muitas vitimas fatais são adolescentes, como caso da menina de 14 anos que era atleta da cidade de Castro. Se as vacinas tivessem sido liberadas, como foi nosso pedido, com certeza estas mortes teriam sido evitadas, enfatizou Ney.

Ao comentar sobre seu pedido de fornecimento gratuito da vacina contra a gripe Influenza a todas as pessoas residentes no Paraná  que assim desejarem, independente de integrarem ou não o grupo de risco, Ney lembrou que atualmente  grupo de risco é composto por presos, pessoas com 60 anos ou mais, crianças de seis meses a dois anos, indígenas, gestantes, mulheres de até 45 dias após o parto(em puerpério) profissionais de saúde, além dos doentes crônicos.

DESRESPEITO À CONSTITUIÇÃO
 
Segundo Leprevost ao impedir o acesso de todas as pessoas à vacinação gratuita contra o vírus Influenza, a União está a lhes negar não apenas o direito à saúde, como também, em última análise, o próprio direito à vida, em flagrante desrespeito aos princípios fundamentais da Constituição Federal.

Salienta o deputado que especificamente no caso do Paraná, a União desconsidera as peculiaridades climáticas de nossa região, cujo inverno é dos mais frios do país, o que favorece a disseminação da Gripe Influenza entre os paranaenses  mais do que nas outras regiões do Brasil.

E prossegue: Daí o erro de se fixar critérios uniformes para todo país, em lugar de se ajustar a campanha às características climáticas de cada região.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

10 − nove =