NO DIA DO COMERCIANTE, LEPREVOST PROPÕE HERÓI NACIONAL COMO PATRONO DO COMÉRCIO DO PARANÁ

 O deputado Ney Leprevost apresentou projeto-lei, instituindo Ildefonso Pereira Correia, o Barão do Cerro Azul, como Patrono do Comércio do Paraná e ao mesmo tempo, inserindo no Calendário Oficial de eventos do Estado, data de 16 de julho, como o Dia do Patrono do Comércio Paranaense.
Ildefonso Pereira Correia, o Barão do Cerro Azul, hoje já reconhecido como herói nacional, em l890 ajudou a fundar a Associação Comercial do Paraná, tornando-se o seu primeiro presidente.
O empresário Camilo Turmina, Coordenador do Conselho das Câmaras Setoriais da Associação Comercial do Paraná e organizador dos eventos alusivos ao Dia do Comerciante, disse que foi importante e oportuna à iniciativa do deputado Ney Leprevost, em apresentar o projeto que coloca Ildefonso Pereira Correia, o Barão do Cerro Azul, como patrono do comércio, pois os empresários comerciantes se espelham nos valores e na trajetória do Barão do Cerro Azul. E além disso, a data de 16 de julho, será lembrada todos os anos, com a inclusão no Calendário Oficial de Eventos do Paraná, mantendo viva a história do patrono do comércio do Estado.
Ney Leprevost, disse que no momento em que a data de 16 de julho, é referenciada como Dia do Comerciante, nada mais justo que lembrar aquele que  foi um grande defensor do comércio e de tudo o que representou de  melhorias para a comunidade. Além disso, depois de injustamente ter sido  considerado traidor, o Barão do Cerro Azul  é o único paranaense a pertencer ao rol dos heróis da Pátria com muita justiça. Daí então nossa iniciativa sugerir a inclusão oficialmente no calendário de eventos do Estado, a  da data de 16 de julho, como  Dia do Patrono do Comércio Paranaense.
HISTÓRIA
Segundo dados históricos o Barão do Cerro Azul comparam-no à Mauá, pois, talvez, nenhum outro paranaense tenha produzido tanto na política ou na atividade empresarial quanto ele.
A simpatia que causou ao imperador Dom Pedro II quando este visitou Curitiba em 1881 rendeu-lhe a comenda da Imperial Ordem da Rosa, que lhe foi entregue pelo imperador. Nas eleições de 1882, elegeu-se deputado provincial. Desenvolveu suas funções com sucesso enquanto uma crise política empolgava as ruas. 
Assumiu interinamente o governo da província em 1888. Cuidou de apaziguar os ânimos, mas não pode evitar a crise parlamentar que ocorria na Assembléia Provincial. 
Ildefonso Pereira Correia foi o maior exportador de erva-mate do Paraná e maior produtor de erva-mate do mundo. Durante a revolução Federalista, ele e outras cinco pessoas proeminentes da cidade de Curitiba foram executadas sumariamente por ordem do general Éwerton de Quadros sem qualquer processo legal ou acusação formal.
A Lei nº 11.863, de 2008, foi sancionada pelo Presidente da República em 15 de dezembro de 2008 e publicada no Diário Oficial da União em 16 de dezembro de 2008, inscrevendo o nome de Ildefonso Pereira Correia, o Barão de Cerro Azul, no Livro dos Heróis da Pátria, depositado no Panteão da Liberdade e da Democracia, em Brasília.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

5 × 1 =