Programa “Nossa Gente” da Secretaria da Justiça viabiliza moradia para mais 78 famílias

O secretário da Justiça, Família e Trabalho do Paraná, Ney Leprevost, anunciou que o Programa “Nossa Gente”, vinculado à Secretaria da Justiça, Família e Trabalho e a Cohapar, vai entregar no mês de novembro, pelo Programa Nossa Gente Paraná, novas moradias a mais 78 famílias de Salgado Filho (17 casas), Marmeleiro (40 casas) e Coronel Vivida (21 casas), municípios da região sudoeste do Paraná, que viviam em condições precárias ou pagavam aluguel e puderam, por meio do programa, realizar o sonho da casa própria sem precisar pagar nada por isso.

O investimento total nos três municípios foi de R$ 5.108.798,05 (cinco milhões, cento e oito mil setecentos e noventa e oito reais e cinco centavos). “Este investimento do governo Ratinho Junior vai proporcionar as famílias mais vulneráveis melhores condições de vida e novas oportunidades com dignidade e inclusão”, ressaltou o secretário da Sejuf, Ney Leprevost.

O projeto de redução do déficit habitacional faz parte do Programa Nossa Gente e tem em seu planejamento a construção de novas casas que são compostas por sala, dois quartos, cozinha, banheiro e área de serviço, com modelos de 32 metros quadrados e de 49 metros quadrados adaptados para pessoas com deficiência, conforme prevê a cota de atendimento do programa. O custo de cada unidade varia entre R$ 56 mil, nos tamanhos menores, a R$ 78 mil nos adaptados.

Os recursos são de financiamento obtido pelo Governo do Estado junto ao Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) para custear todas as despesas dos imóveis e repassar sem custos para os beneficiários.

O Governo do Paraná forneceu gratuitamente às famílias as instalações de rede de energia elétrica, pela Copel, e da rede de água e esgoto, via Sanepar. As Prefeituras dos municípios doaram os terrenos onde os imóveis foram erguidos, além de realizar obras de iluminação pública e a pavimentação das ruas do entorno.

O Nossa Gente Paraná atende famílias com renda mensal de até dois salários mínimos. O processo de seleção é feito por uma Câmara Técnica do município, com base no cadastro de candidatos da Cohapar. As famílias já participavam de programas sociais na cidade.

(Via Assessoria de Imprensa – Luiz G. Mazza Neto)

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *