Ney Leprevost lamenta o falecimento de Zilda Arns, coordenadora da Pastoral da Criança e da Pessoa Idosa

A maior homenagem que podemos fazer a Dra. Zilda é darmos continuidade ao seu trabalho, afirma o deputado

 

    Zilda Arns Neumann, fundadora e coordenadora internacional da Pastoral da Criança e da Pastoral da Pessoa Idosa, está entre as vítimas fatais deixadas pelo terremoto ocorrido nesta terça-feira (12), no Haiti. A médica visitava o país para uma palestra que ministraria na Conferência dos Religiosos naquele país.

    Pioneira da ação social no Brasil, a pediatra deixa um legado importantíssimo: para o deputado Ney Leprevost, presidente da Comissão de Saúde da Assembléia Legislativa do Paraná, que acompanhava de perto o trabalho desempenhado pela Pastoral, o falecimento da Dra. Zilda Arns é uma perda inestimável: Perdemos um símbolo do bem, de dedicação e altruísmo. A Dra. Zilda nos deu um exemplo de coragem numa luta incansável em favor da saúde e qualidade de vida das crianças, disse.

    Leprevost ressaltou ainda que o trabalho desenvolvido por Zilda deixará uma lacuna: Ela começou a desenvolver o projeto de ação junto às crianças sem a ajuda de ninguém, evitando a morte de milhares. Não é a toa que recebeu indicação ao Prêmio Nobel da Paz. Era uma figura extraordinária. Acredito que a maior homenagem que podemos fazer a Dra. Zilda é darmos continuidade ao seu trabalho: uma verdadeira mensagem de direitos humanos práticos, favorecendo efetivamente o próximo, comentou o parlamentar.

    A experiência profissional de Zilda Arns em comunidades pobres do Brasil foi a mola que impulsionou a criação de um organismo que ajudasse a fortalecer as ações sociais e de saúde desenvolvidas pelo Poder Público em benefício das crianças e dos idosos. Foi dessa forma que o projeto da pediatra e sanitarista ganhou corpo, com iniciativa da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), se transformando na Pastoral da Criança e também na Pastoral da Pessoa Idosa.

    Em 2008, Ney realizou uma sessão solene comemorativa aos 25 anos de fundação da Pastoral da Criança. A homenagem ocorreu no Plenário da Assembléia Legislativa, reunindo autoridades, coordenadores, líderes comunitários regionais e voluntários da entidade. Esta homenagem é justa pelo grande trabalho que a Pastoral desenvolve em solo paranaense, brasileiro e internacional. Trata-se de uma grande rede de solidariedade e de promoção da vida plena, visando o bem-estar das crianças e de suas famílias, destacava Leprevost em seu pronunciamento.

    Entre os trabalhos desenvolvidos pela entidade, sempre nas comunidades mais pobres de cada bairro, cidade ou país, está a busca pelo desenvolvimento integral das crianças, com ações na área de saúde, nutrição, educação, cidadania e espiritualidade de forma ecumênica. Hoje, a organização atua em 27 Estados brasileiros, além de outros 17 países.

    No Brasil, o trabalho dos quase 260 mil voluntários atinge aproximadamente 1.815 milhão de crianças, com uma meta ambiciosa: de alcançar 9,6 milhões: Se a Pastoral da Criança vai indo bem, é porque temos uma base que trabalha unida, dizia Zilda Arns ao agradecer a homenagem do Parlamento.

    Catarinense de nascimento, Zilda vivia há mais de cinco décadas em Curitiba, que decretou nesta manhã luto oficial de três dias. A Pastoral foi fundada em 1982 na cidade.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

quinze + 6 =