Paraná é referência na geração de empregos com 32,7% das vagas ocupadas no país por intermédio das Agências do Trabalhador

O Paraná mantém o bom fluxo na recuperação econômica e segue na crescente dos bons números para a geração de empregos. No Brasil, das 97.880 mil pessoas colocadas no mercado de trabalho pelo Sistema Nacional de Emprego, 32,7% das vagas foram ocupadas pelas Agências do Trabalhador da Secretaria da Justiça, Família e Trabalho (Sejuf) nos quatro primeiros meses de 2021.

Com isso, o estado segue na liderança do ranking da Secretaria de Políticas Públicas de Emprego do Ministério da Economia, com 32.034 mil trabalhadores com empregos formais pelas 216 Agências do Trabalhador e se torna referência nacional na intermediação de empregos. No segundo lugar está o Ceará com (13.860 colocados), seguido de São Paulo (9.004 colocados) e Minas Gerais (6.464).

Segundo secretário da Justiça, Ney Leprevost, “essa ação da Secretaria complementa a política de atração de investimentos determinada pelo governador Ratinho Junior. Buscamos nos aproximar da iniciativa privada para acelerar a colocação dos trabalhadores no mercado, fazendo com que o Paraná gere mais emprego e renda”.

Os setores que mais colocaram vagas nos quatro primeiros meses do ano pelas agências foram: Indústria; Serviços; Comércio; Agropecuária e Construção Civil.

Box 2
54% das vagas disponíveis nas Agências do Trabalhador do Paraná foram preenchidas no quadrimestre de 2021

Do total de oportunidades disponibilizadas pelas Agências do Trabalhador do Paraná (58.928 vagas) no quadrimestre deste ano, 54% das vagas foram ocupadas (32.034 colocados).

O trabalho proativo de captação de vagas é realizado pela equipe do Departamento do Trabalho e Estimulo à Geração de Renda da Secretaria da Justiça, Família e Trabalho (Sejuf) cumprindo a orientação do secretário Ney Leprevost.

Segundo a chefe do Departamento do Trabalho da Sejuf, Suelen Glinski, “por determinação do secretário Ney Leprevost, nós promovemos de maneira on-line capacitações, realizamos todo o acompanhamento e supervisão técnica com a intermediação de mão de obra junto aos profissionais que atuam na ponta com as agências, fomentando assim a geração de empregos e renda”.

(Via Assessoria de Imprensa – Luiz G. Mazza Neto).

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *