Ney apóia campanha do Hospital Pequeno Príncipe para transplante de medula óssea

O Hospital Pequeno Príncipe está em campanha em prol do Transplante de Medula Óssea (TMO). Para ajudar nos custos da implantação da Unidade de Transplante de Medula Óssea, a entidade lançou uma camiseta com a logo da campanha, tendo seus valores revertidos para a obra.

 O custo de implantação da unidade está orçado em R$ 700 mil, dos quais o Hospital já conseguiu captar cerca de 80%. O custo de manutenção do serviço está estimado em R$ 750 mil por ano. A unidade terá capacidade de realizar 24 transplantes de medula óssea por ano. No Brasil, cerca de 2.500 pessoas necessitam desse tratamento todos os anos, mas só 1.500 conseguem, por falta de serviços estruturados no país.

 O deputado Ney Leprevost, presidente da Comissão de Saúde da Assembleia Legislativa, apóia a iniciativa e solicita a colaboração de seus amigos e eleitores.
Para adquirir a camiseta, no valor de R$ 30,00, você pode entrar em contato com o Pequeno Príncipe pelo telefone (41) 3078-1161 ou pelo site www.hpp.org.br

Entenda o TMO
O transplante de medula óssea (TMO) é um tratamento complexo, indicado para pacientes com alguns tipos de câncer e outras doenças graves, que comprometem a produção de componentes do sangue, vitais para o bom funcionamento do organismo.

 O resultado do transplante depende de uma série de fatores, mas ele representa, comprovadamente, uma alternativa para salvar vidas. Com o tratamento, pacientes com leucemia aumentam a possibilidade de cura entre 60% e 70%, e aqueles com Anemia Aplástica, que antes da técnica faleciam, possuem 95% chances de ficarem saudáveis.

 A medula óssea é um tecido líquido que fica no interior dos ossos, popularmente também chamado de tutano. O transplante consiste na substituição da medula doente por outra, saudável, por meio de uma técnica de transfusão. Para isto, a medula doente é destruída com quimioterapia ou radioterapia, ocasionando a perda completa de imunidade do paciente. Entre outros, este é um dos principais fatores do extremo cuidado que o tratamento exige.

 

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

quinze + 19 =